História

Suas origens estão ligadas a propriedade da família Costa, onde existia um beneficiamento de algodão e trabalhavam dezenas e pessoas. Ao redor da fábrica foram construídas casas para operários, dando origem ao primeiro aglomerado humano.

O local progrediu bastante e o Industrial Antônio José da Costa é considerado o fundador da cidade em 1903, que era chamada de Vila Costa. A denominação atual, originou-se do cruzamento da rodovia com a linha férrea. Em 1919, construída a primeira Capela do lugar, sendo reformada em 1963, constituindo-se depois em Igreja Matriz. O padroeiro da cidade é o Coração de Jesus.

Gentílico: duas-estradense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Duas Estradas, pelo decreto-lei estadual nº 520, de 3112-1943, criado com área do distrito de Serra da Raiz, subordinado ao município de Caiçara.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Duas Estradas, figura no município de Caiçara.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Pela lei estadual nº 1962, de 21-01-1959, o distrito de Duas Estradas, deixa de fazer parte do município de Caiçara, sendo anexado ao município da Serra da Raiz.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Duas Estradas, figura no município de Serra da Raiz.

Elevado à categoria de município com a denominação de Duas Estradas, pela lei estadual nº 2658, de 22-12-1961, desmembrado de Serra da Raiz. Sede no antigo distrito de Duas Estradas. Constituído de 2 distritos: Duas Estradas e Sertãozinho, ambos desmembrado de Serra da Raiz. Instalado em 30-12-1961.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Duas Estradas e Sertãozinho.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 17-I-1991.

Pela lei estadual nº 5918, de 29-04-1994, alterada pela lei estadual nº 6421, de 27-12-1996, desmembra do município de Duas Estradas o distrito de Sertãozinho. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

 

 

HISTÓRICO DA LINHA

A linha que originalmente unia a estação de Brum, no Recife, a Pureza, próximo à divisa entre Pernambuco e Paraíba, foi aberta de 1881 a 1883 pela Great Western do Brasil, empresa inglesa que tinha a posse e a concessão da E. F. Recife ao Limoeiro.

Esta linha avançou até Pilar, na antiga E. F. Conde D’Eu, incorporada à GW em 1901, onde sua linha, aberta em 1883, entre outros ramais, avançava até Nova Cruz, já no Rio Grande do Norte e da E. F. Natal a Nova Cruz, que também passou à GW, na mesma época.

Para ligar estas duas últimas, a GW construiu em 1904 um trecho de 45 km, formando então o que veio a ser chamado de Linha Norte.

Quando ocorreu a venda da GW para a Rede Ferroviária do Nordeste, no entanto, o trecho do RN já não mais pertencia à GW, mas foi incorporado à RFN, e em 1957 tudo isso foi uma das formadoras da RFFSA.

A linha está ativa até hoje sob o controle da CFN, que obteve a concessão da malha Nordeste em 1996, mas trens de passageiros não circulam mais por essa linha desde os anos 1980.

 

 

A ESTAÇÃO

A estação de Duas Estradas foi inaugurada em 1904 pela Great Western do Brasil.

A estação foi oficialmente desativada em 9/7/1979 pela RFFSA. Por ali não passa trem desde 1999.

A estação continuava em pé em 2006, em mau estado, mas foi restaurada em 2008, estando em ótimo estado em 2009, segundo afirma Wellington Morais.

 

Fonte:
http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=250580#
http://www.estacoesferroviarias.com.br/paraiba/duasestradas.htm
http://duasestradas-pb.blogspot.com.br/search?q=Imperatriz